quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Apenas respire fundo

Eu tenho os teus olhos
Teu beijo
E teu retardo
Tuas provocações
Que me ignoram
E ainda assim me recitam
À tua revelia

Eu tenho
A tuas palavras não ditas
No teu silêncio insistente
Branca flor

Eu tenho esse amor
Em tempo frustro
Que te cria espanto
Em roseirais
Frios e sem capacidade
De se dar em perfume

Eu tenho a noite inteira
Para te pensar
O dia inteiro para te assombrar
E uma cidade inteira
De avenidas a nos cruzar

Nós temos jogos remotos
Balas perdidas
Abraços
E facadas

E eu tenho sangue nas mãos
Que escorre em poças
Nas quais pisas e afundas
E quanto mais te debates
Mais parece
Nos afogar

[Apenas respire fundo]

Angelo A. P. Nascimento


Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails