quarta-feira, 24 de abril de 2013

O corpo das lembranças



Eu deixei de escrever para você
Pendurei lá fora
Todo o sentimento
Todo o amor
Que em mim restava

Era hora da purga
Da limpeza dos afagos
Do desbotar final das tintas
Da risonha ironia das ausências

Calei meus dedos
Fechei meu sorriso
Tranquei a alma
Deprimi minhas sobrancelhas

O silêncio é a voz
De minha tristeza

Por fim
Apenas ecos
Dos poemas escritos
No corpo das lembranças...

[E se eu novamente falasse,
Que alegria estranha me encheria a boca?]


Angelo Augusto Paula

Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails