sábado, 7 de maio de 2011

A teoria da placa



          Hoje é um bom dia para iniciar uma nova caminhada! Mas antes, gostaria de abrir meu discurso querendo saber se, aqui entre nós, alguém já questionou se a placa de formatura existe para algo além da composição dos ditames de uma formatura. Por que, nossos nomes em uma placa? Assim contarei a minha teoria... Os sentimentos são feitos de um material intocável. Passamos a vida inteira a sentir, sentir e sentir. Sentimos alegria, raiva, medo tristeza, frustração e amor. Mas ninguém há de me dizer qual a cor da vergonha ou da paixão ou da coragem. Não há um só alguém que eu conheça que possa me dizer qual a tez da decepção ou da sensação única do reencontro. Há alguém que possa dizer, qual era a altura e peso da maior felicidade que já experimentou? Para todas essas perguntas, todas as respostas são negativas. Passamos a maior parte do tempo tentando descrevê-los, mas nunca o retrato que pintamos se aproxima do corpo de qualquer sentimento. Por isso, o homem precisa materializar suas emoções. Para terem certeza de que elas existem, como se, um dia, o tamanho de cada sentimento extrapolasse a nossa crença na fé e nos levasse a querer tocar naquilo, como tornar o ruim sólido, para ser possível bani-lo de nossas vidas, ou como tornar o especial concreto, para que aquela sensação sagrada não se disperse. Assim, criamos o lugar ruim para onde não queremos ir, ou a coisa indesejada, que não queremos ver. Esse é o escape de nossa mente. Da mesma forma, quando duas pessoas se amam tanto, elas precisam que seu amor pule de um estado intocável, para a significância material de suas alianças, por que, somos humanos e somos passíveis de falhar ao acreditar naquilo que não vemos, tocamos ou cheiramos. Mas a aliança está ali, para que possamos olhá-la e lembrarmos que aquele amor existe.
              Eu acabo de dar a vocês a minha “Teoria da Placa”, como um presente de formatura. Ela é a coragem e a perseverança de cada um de vocês que se materializou e vai ficar aqui, para que outros possam passar e ver que vocês lutaram e foram vitoriosos. Vocês serão a inspiração deles e de outros que virão e cruzarão por aqui e olharão para essa placa, sonhando com o momento de descerrar a sua própria. Mais do que um símbolo ou trâmite cerimonial, ela terá uma função comum para todos vocês. A vida que começa agora é um trajeto repleto de altos e baixos. Um dia você acordará feliz com o que é, outros dias serão mais difíceis e você se sentirá afogado em angústias que jurará não conseguir suportar e olhará em volta e verá obstáculos que julgará não ser capaz de ultrapassar. Serão nesses dias, nos quais você se dirá derrotado, que deve vir aqui e olhar cada nome gravado nessa placa. Seu nome estará escrito nela e ao lê-lo você lembrará que sua força, coragem e perseverança existem e você pode tocá-las. Assim, será sua a certeza de que é maior do que qualquer coisa, pois, nesse ponto, toda a fé em si próprio será renovada e você continuará lutando, pois é isso que os vencedores fazem: lutam.
                Felicidades! Como um pai que se despede dos filhos, eu tenho muita fé em vocês. Vão pelo mundo, sejam éticos, honrados. Voltem algumas vezes por aqui para me contar o que fizeram e fazem e me encham de orgulho.


Angelo A. P. Nascimento

(Discurso realizado no descerramento da placa de formatura dos alunos do curso de Fisioterapia da FARN, em setembro de 2010.)



Muitas saudades de todos!!!

Angelo A. P. Nascimento
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails