domingo, 3 de outubro de 2010

Reza


Senhor Deus,
Abençoa o meu punho
E permita também
Que eu permanentemente desabafe
E seja,
Junto com as palavras,
Um rio capaz de
Colocar no verbo a sensível carne
E que, afogado em versos,
Eu viva
E consiga
Ecoar o que me vem na alma
O que me debate no peito
E ser
E ser
E eu mesmo ser.

Angelo A. P. Nascimento
(2001)
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails