quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O amor que não adormece

Hoje é noite por todos os lados
E apenas busco por algo
Que fagulhe na escuridão.

Espero o sono em vão
E conto carneiros e cavalos
E trinco músicas infantis que ninem
Lembro de calores antigos
Faço orações que sempre terminam
Com pedidos pagãos.

Mas nada remove essa sombra em mim
Nem mesmo a madrugada que se expira
Nem mesmo as luzes todas acesas da casa.

Nada no breu se move,
Exceto o seu cheiro que passeia solto.

Insisto e apenas deito,
Acalentando um amor que não adormece.

Angelo A. P. Nascimento
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails