quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Para onde foi?



Há tempos não consigo escrever
Meus pensamentos não param
A minha poesia
Transita na contramão
Toda a beleza
Do que não digo
Se guarda
Acumula
Aprisiona e não escapa
E sigo sem sentido
Palavras que não se juntam
Divorciadas daquilo que sinto

Guardanapos
Rascunhos
Telas
Teclados
Nada recolhe o sentimento espalhado

E para onde vai
Essa coisa
Esse eu que já não se esvai?

Para onde foi
A voz do meu coração?

Angelo Augusto Paula do Nascimento
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails