quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Mormaço de beijo branco

Terá sempre
Essa morbidez fluida
Teu olhar laranja das coisas
Que emociona e transfigura a criação complexa

Será sempre
Um misto de constâncias e surpresas
A forma que chega e te deitas
Na cotidiana hora de dormir

Quiçá
Sempre
Sempre
Esse mormaço de beijo branco
Em meu corpo castanho.

Angelo A. P. Nascimento
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails